O Instituto Adolfo Lutz confirmou o segundo caso da Monkeypox, conhecida como Varíola dos Macacos, em Indaiatuba. A confirmação foi feita ontem (21/6), segundo a Secretaria Municipal de Saúde.

O paciente diagnosticado com a doença é um homem, de 38 anos, residente em Indaiatuba. O paciente é familiar do primeiro caso confirmado, um homem, de 28 anos, e também esteve em viagem para a Europa. Por isso, é considerado um caso importado. Ele passa bem e segue em isolamento domiciliar. Este é o terceiro caso confirmado na Região, o sétimo no Estado de SP e o 11º no país.

O paciente, de 38 anos, já estava em isolamento devido ao contato com o primeiro o rapaz do primeiro caso da doença e em acompanhamento diário. Segundo ele relatou ao Departamento de Vigilância Epidemiológica da Secretaria de Saúde de Indaiatuba, o aparecimento de lesões (um dos sintomas da varíola dos macacos) ocorreu no início da tarde de segunda-feira (20/6). Ele fez o exame e o resultado positivo chegou na noite da mesma data.

A Monkeypox é uma doença viral transmitida por contato próximo ou íntimo com pessoa infectada, com lesões de pele ou ainda por contato com objetos e tecidos utilizados por infectados. Não há tratamento específico, mas, de forma geral, os quadros clínicos são leves e requerem cuidado e observação das lesões.

SINTOMAS

Os primeiros sintomas podem ser febre, dor de cabeça, dores musculares e nas costas, linfonodos inchados, calafrios ou cansaço. De 1 a 3 dias após o início desses sintomas, as pessoas desenvolvem lesões de pele que podem estar localizadas em mãos, boca, pés, peito, rosto e ou regiões genitais.

PREVENÇÃO

  • Evitar contato próximo/íntimo com a pessoa doente até que todas as feridas tenham cicatrizado;
  • Evitar o contato com qualquer material, como roupas de cama, que tenha sido utilizado pela pessoa doente.
  • Higienização das mãos, lavando-as com água e sabão e/ou uso de álcool gel.
Share:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.