Por Patrícia Lisboa

A Secretaria de Educação de Indaiatuba pretende instalar câmeras de monitoramento em todas as salas de aula das 39 creches municipais, para ampliar o sistema de segurança, que já existe nas áreas externas das unidades.

Por meio de carta convite, a Pasta já contratou a empresa Controllersec – Serviços e Consultoria Ltda., por R$ 48.750, para elaborar o projeto de ampliação do monitoramento por câmeras nas creches.

A previsão é que a elaboração do projeto seja concluído em quatro meses. Nele, deve constar a estimativa de custo da ampliação do sistema de segurança das creches.

Nas três últimas creches municipais construídas, foi implantado o projeto piloto de monitoramento das salas de aula. “A proposta é oferecer um cuidado extra a este público específico, por se tratar de turmas com crianças menores e que exigem mais atenção”, justifica a Secretaria Municipal de Educação. “Este modelo foi muito bem aceito pela comunidade escolar”, acrescenta.

As unidades onde o projeto piloto já funciona são Creche Prof.ª Maria Aparecida Misurini, Creche Lucia Steffen e Creche Prof.ª Marina Maschietto. Magnusson.

De acordo com a assessoria da Pasta, a rede municipal de ensino de Indaiatuba possui 81 unidades entre creches e escolas de educação infantil e fundamental. Todas as unidades possuem o Sistema Integrado de Segurança (SIS), que conta com câmeras de monitoramento em áreas como, portões e pátio, além de alarme, porteiro eletrônico, central de monitoramento, entre outros recursos. A projeto de instalar monitoramento nas salas de aula é exclusivo para as creches da rede municipal.

Share:

4 Comments

  • ........., 15/03/2022 @ 16:48h Reply

    Só sei que a maior creche de Indaiatuba não recebe nem detergente para a pia da cozinha em que os funcionários lavam os pratos, luva para servir merenda é um luxo, comida das funcionárias vem com cabelo, azeda, atrasadas, não conseguimos com a cesta fazer compras nem para uma semana em nossas casas, muitas de nós está doente por excesso de trabalho (você já cuidou de 8 filhos da mesma idade por oito horas por dia?), isso sem falar que uma babá pra nossos filhos por meio período, nos custaria a metade nosso salário, que por acaso é o que vemos no holerite no final do mês depois de todos os descontos, por tanto quem não tem apoio familiar não consegue trabalhar quando os filhos chegam a Etapa I E II, isso se você tem um marido para dividir as despesas, as que são o esteio da casa e já se prenderam nas traves das dívidas ligadas aos funcionários públicos para pagarmos o estrago que dois anos sem aumento no salário fizeram em nossas contas que só aumentaram, simplesmente sabemos notícias de crises de ansiedade pelas ruas, pátios e salas a fora, simplesmente por não sabermos como lidar com tanta crueldade com as pessoas que cuidam dos seus filhos para que vocês possas trabalhar tranquilos.

    Nós educadoras estamos torcendo para Indaiatuba fazer jus ao título de cidade número 1 em investimentos, respeito e humanidade em todo Brasil, não só na propaganda, mas nas escolas também!!

  • Antonia, 15/03/2022 @ 16:55h Reply

    Dinheiro para o básico nas creches, como detergente para lavar louça, luvas para alimentação não tem. Dinheiro para dar um vale cesta digno e um salário digno para os funcionários também não tem. Engraçado isso neh? Isso ninguém posta. Isso ninguém fala nem mostra 🤐🤬🤬

  • Lucio, 15/03/2022 @ 17:02h Reply

    Que as creches estão com salas lotadas, faltando monitoras, todas exaustas por trabalharem com 1 a menos na maioria das salas, e que estão a 2 anos com salários congelados, e agora nem o repasse da inflação não querem dar de aumento, vale cesta menor de toda região, metade do valor de Monte Mor, aí não sai em nenhuma reportagem da cidade no1 na educação

  • Gloria, 17/03/2022 @ 22:59h Reply

    O salário de uma monitora está congelado faz anos , com a inflação lá em cima , mal dar pra cesta básica , tudo sobe menos o salário , as creches conveniadas deveria receber o mesmo salário , das não conveniadas ou seja da prefeitura , pois o trabalho é o mesmo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.