No primeiro mês de funcionamento do Programa Vencer, da Prefeitura de Indaiatuba, foram atendidos 32 pacientes no pós-covid. O tratamento realizado é para a reabilitação muscular e cardiorrespiratória das pessoas que tiveram a doença.

O programa é desenvolvido desde o dia 11 de maio pelas secretarias municipais da Saúde e de Esportes, na Estação Cidadania, que fica ao lado do Centro Esportivo do Trabalhador, no bairro Cidade Nova 2, e no Complexo Esportivo do Jardim Morada do Sol, em parceria com o Grupo UniEduK, do Centro Universitário Max Planck (UniMAX).

A porta de entrada do programa é o Departamento de Reabilitação Física e Mental (Derefim). O Hospital Augusto de Oliveira Camargo (Haoc) ou qualquer outra unidade de saúde da rede pública que tenha atendido o paciente de covid-19 é que fazem o encaminhamento dele ao Derefim, que, por sua vez, direciona o paciente para o Programa Vencer.

“O que a gente percebe é que o programa tem mudado a vida desses pacientes pós-Covid. Geralmente essas pessoas tinham uma vida sedentária e hoje utilizam as academias públicas com o propósito de melhorar de vida e não só apenas como uma reabilitação física por conta da recuperação da Covid. Elas entenderam a necessidade da atividade física”, avalia o secretário-adjunto de Esportes, Luiz Guilherme Bergamo.

“Notamos que depois da fisioterapia e do atendimento do pneumologista, de todo este tratamento pós-alta, alguns pacientes ainda possuíam perda muscular, cansaço, mobilidade reduzida e dificuldade de equilíbrio”, conta a secretária municipal de Saúde, Graziela Garcia.

“Nestes casos, a atividade física – moderada e específica para esses casos – ajuda muito, principalmente nas questões envolvendo mobilidade e ganho de massa. Estamos agregando mais um serviço para reabilitação dessas pessoas, para que elas possam retornar às suas rotinas, com a maior agilidade possível”, explica a secretária.

Os tratamentos oferecidos pelo Programa Vencer são variados e partem da condição física do paciente. Todos passam pela fisioterapia, mas, se houver um comprometimento maior, o paciente é encaminhado para uma equipe multidisciplinar, que conta ainda com terapeuta ocupacional e fonoaudiólogo.

Ao chegar a um estágio em que o fisioterapeuta entende que o paciente atingiu todos os objetivos esperados na reabilitação, ele é reavaliado. Se ele atingiu o estágio de alta da reabilitação, mas ainda precisa do ganho de força, melhora de condicionamento físico e tudo mais, prossegue com seu tratamento no Programa Vencer.

A intervenção para melhora da aptidão física pode durar de oito a 12 semanas. Após este período, se o paciente quiser dar continuidade ao treinamento, ele será convidado a frequentar os programas de Lazer Esportivo da Secretaria Municipal de Esportes.

“O Programa Vencer não tem fim e o paciente, mesmo após a melhora total, pode optar por dar sequência em uma academia particular, com um personal trainer, o importante mesmo é continuar se cuidando”, orienta a secretária de Saúde.

Share:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.