O Serviço Autônomo de Água e Esgotos (Saae), de Indaiatuba, informa que as chuvas dos últimos dias, após longo período de estiagem, já ajudaram na recuperação dos mananciais que são fontes do abastecimento de água da cidade.

De acordo com a medição realizada pelo Saae, por meio do pluviômetro instalado na Estação de Tratamento de Água (ETA) 3, no bairro Pimenta, entre os dias 15 e 19 de outubro, o volume de chuva foi de 37,2 milímetros. Na região da Vila Avaí, onde fica a ETA 1 e há outro pluviômetro do Saae, o volume de chuva medido no mesmo período foi de 42,6 milímetros.

Hoje, segundo o Saaae, a barragem do Rio Capivari-Mirim atingiu 56% da sua capacidade. “A situação dos mananciais também é estável. O sistema Morungaba/Cupini, por exemplo, está em recuperação, e o mesmo ocorre com o Ribeirão Piraí”, afirma a autarquia.

“Com o retorno das chuvas, os níveis dos mananciais que abastecem Indaiatuba estão com um volume de água satisfatório”, afirma o Saae.

“Mas, é importante que todos continuem economizando água”, alerta o superintendente da autarquia Pedro Claudio Salla.

O superintendente lembra que o Saae tem uma campanha permanente para incentivar o uso consciente da água tratada.

“A economia no consumo de água tratada minimiza os problemas com a escassez hídrica, aumentando a vida útil dos mananciais, uma vez que se reduz o volume de água a ser captada e tratada, o volume de esgotos a serem coletados e tratados e o consumo de energia elétrica. As chuvas são importantes para alimentar o lençol freático dos mananciais, para que nos períodos de estiagem consigam ter volume suficiente para sua captação”. explica.

“Estamos mantendo o abastecimento regular, sem nenhum tipo de rodízio, graças aos investimentos feitos nos últimos 20 anos, entre eles, a construção da barragem do Rio Capivari, de reservatórios regionais de água tratada, ampliações de estações de tratamento, novas adutoras, desassoreamento e revitalização de nascentes e mananciais, além do desenvolvimento do Programa de Combate às Perdas de Água nas Redes de Distribuição”, informa o Saae.

Share:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.