Por Patrícia Lisboa

A Prefeitura de Indaiatuba vai extinguir a Fundação Pró-Memória em um prazo de 90 dias. A medida foi aprovada pela Câmara Municipal, na sessão ordinária desta segunda-feira (23/3). A justificativa apontada pela Administração Municipal é a necessidade de “redução de gastos”. A economia estimada é de R$ 500 mil por ano.

Com isso, o arquivo público municipal, a biblioteca municipal e o museu municipal – que são de responsabilidade da Fundação Pró-Memória – passarão a ser geridos pelo Departamento de Preservação e Memória, que é criado pelo projeto de lei nº 3/2021, o mesmo que extingue a fundação.

Na Câmara, o texto foi aprovado por 10 dos 12 votos – oito da Situação e dois da Oposição – e em regime de urgência especial (votação única). Apenas o vereador Luiz Carlos da Silva (MDB) se ausentou da votação, por motivo de saúde. O presidente da Casa, Jorge Luís Lepinsk (MDB), só vota em caso de empate.

Segundo a Prefeitura, os funcionários da fundação serão absorvidos pelo novo departamento, que será ligado à Secretaria Municipal de Cultura. O cargo de superintendente será extinto. O atual ocupante do posto, Carlos Gustavo Nóbrega de Jesus, foi procurado pelo Blog da Pimenta, mas não retornou o contato.

No dia 1º de fevereiro deste ano, a fundação completou 27 anos. Ela foi criada com a missão de divulgar e preservar a história e a memória de Indaiatuba. Com a extinção do órgão, o Conselho Municipal de Preservação ficará ligado à Secretaria Municipal de Cultura.

A Fundação Pró-Memória fica na Casa da Memória, que também abriga o arquivo público e a Biblioteca Municipal Rui Barbosa, na Rua das Primaveras, 450, Vila Bergamo.

Share:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.